Recomendações

(3.486)
Elane Souza DCJ Advocacia, Advogado
Elane Souza DCJ Advocacia
Comentário · há 6 dias
Ótima Dra. Christina, mas assim a discussão vai longe..rsrsr
Eu, por exemplo, se for ao pé da letra não devo EM NADA meu estudo superior aos meus pais (só a criação infantil e um pouquinho da adolescente quando já era obrigada a trabalhava de babá e doméstica); essa é a verdade, infelizmente!

Meu pai, hoje velhinho e já perdoado (só conto para vc saber como foi) inclusive me chamava de marmanja, velha - "o que velha queria estudar???" DIZIA ELE.

OBS.: hoje fica vendo a TV o tempo todo e acha lindo quando um velhinho de 60 ou mais se forma (vai entender).

Mas, naquela época, com 27 anos a velha era eu - o tempo era só de trabalhar, porque se "não quis" fazê-lo quando era novinha, o que queria depois de bem adulta?

ENTRETANTO, apesar de me chamar de vagabunda, velha e mentirosa, eles são extremamente honestos e trabalhadores - a minha educação familiar de honestidade e justiça aprendi com eles (mais com minha mãe).

Ahhh, e meu pai me chamava de mentirosa porque EU chegava todo dia muito tarde em casa - para ele isso NÃO era estudo, era vagabundagem...., formei depois de 6 anos, um a mais que a minha turma oficial - talvez porque não jantava, mal almoçava entre um e outro trabalho e chegava quase todo dia atrasada no segundo emprego e também na Faculdade.....os 2 empregos eram em cidades distintas (região metropolitana, alguns bons quilômetros de distância um do outro - no meio ficava a Faculdade que fazia a noite); com o dinheiro dos dois empregos me formei e ainda ajudei nas despesas de casa!

Então, resumindo: não devo nada aos meus pais; dou amor e agora algum dinheirinho porque quero - talvez me trataram assim, porque assim foram tratados (eram "chucros", da roça; não sabiam dar amor de pais, para eles só trabalhar e ser honesto era o importante) - o dia da minha colação de grau, entreguei a eles o convite, depois o convite para a solenidade da OAB que ele não foi em nenhum - só minha mãe....; mas pelo menos deve ter ficado com vergonha, nunca disse nada, sequer pediu desculpas por me chamar constantemente de vagabunda.

AGORA é sobre quando vc menciona HERANÇA:
"Só existe uma raça de mulher que pode se dar o luxo de"preferir"ser dona de casa: as que têm patrimônio que rendem alguma coisa, como aluguéis, investimentos e cotas de participações societárias. Ou seja: as ricas por herança".

Eu nunca poderia, nem poderei saber o que é herdar; assim como muita gente que vive e/ou viveu como eu para ter um curso superior.

Para HERDAR, alguém terá que haver trabalhado muito (ou roubado) para criar o herdeiro na vida boa, de menos esforço, com mais nutrição - não precisando trabalhar para custear o próprio estudo em uma Faculdade de Média avaliação e ainda ajudar na despesa de casa, aguentando sucessivos insultos paternos por estar fazendo algo em que ele não acreditava ser verdade!

Eu ainda acredito que cada um deve fazer da sua vida o que quiser (não praticando crime e corrupção está bom); se quer viver às custas do marido por vontade (NÃO OBRIGAÇÃO. mesmo tendo formação e boa cultura) o é problema dela...;

A herdeira também comerá e beberá do suor que foi de alguém algum dia (dos pais); quem não pode fazer isso porque não teve esse privilégio, mas decidir fazê-lo com um marido não vejo problema - basta a pessoa querer e o outro disponível a aceitar (nunca como obrigação por parte do outro par).
Obrigada e desculpe a deloooooonga discussão!
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em Montes Claros (MG)

Carregando

ANÚNCIO PATROCINADO

Christina Morais

Rua Germano Gonçalves 559 Bairro São José - Montes Claros (MG) - 39400-352

Entrar em contato